13 de mar. de 2021

Após tentativas de censura, espetáculo “Precisamos matar o presidente” busca transformar o ódio em amor

 




“Precisamos matar o presidente”-



Após tentativas de censura, espetáculo “Precisamos matar o presidente” busca

transformar o ódio em amor

Espetáculo virtual faz grande homenagem ao professor e ator Cico Caseira, que

nos deixou em 2017


Rio de Janeiro: O espetáculo teatral “Precisamos matar o presidente” está em cartaz de

forma virtual através da plataforma Doity nos sábados às 20h e domingo às 19h em todo

o mês de março, porém, a peça vem sofrendo inúmeras tentativas de censura de

parlamentares devido ao título da trama. Além disto, houve ataques ao diretor Davi

Porto até com ameaças de morte em suas redes sociais.

Isto tudo ocorreu na semana de estreia do espetáculo quando o Secretário de Cultura

Mario Frias fez um tweet dizendo que os artistas eram bandidos. Os atores da

companhia começaram a receber os primeiros ataques nas suas redes sociais.

"A peça é uma grande homenagem ao professor e diretor Cico Caseira, que nos deixou

em 2017. O espetáculo sempre foi sobre ele. Um homem muito inteligente, politizado,

que por onde passava transformava o ódio em amor", diz o diretor Davi Porto.


Cico nos deixou em 2017 e formou todo uma geração de atores como Lucio Mauro

Filho, Débora Lamm, Alamo Facó, Gregório Duvivier, entre outros.

“Deixo o meu convite a todos a assistirem à peça e tirarem suas próprias conclusões”

convida Davi emendando:

" Faço um apelo para a classe artística: precisamos de união, quando um espetáculo é

censurado, logo virão outros. Vivemos tempos nebulosos, só a arte pode nos salvar".

A trama é uma metalinguagem. A vida é como uma peça de teatro, diz um personagem. 

Todo contexto é desenhado numa reunião virtual de atores sob a supervisão do diretor,

abordando assuntos atuais enquanto ensaiam o espetáculo. A peça é toda autoral. Na

trilha sonora a voz é de Emylia Cassiano com arranjos de Luis Carlos Barbieri,

Apesar de virtual o espetáculo tem texto brechtiano, ou seja, possui interatividade com o

público e o estímulo à reflexão sobre questões sociais que estão em voga.


Para adquirir os ingressos basta entrar no site www.doity.com.br/precisamos. A

temporada vai de 06 a 28 de março com espetáculos aos sábados às 20h e domingos, às

19h. O ingresso custa a partir de 20,00, mas você pode contribuir de outras formas. A

classificação indicativa é de 16 anos.


Informações gerais:

Ficha Técnica Completa:

Nome da Peça: Precisamos matar o presidente

Texto e Direção: Davi Porto

Elenco: Davi Porto, Dominique Castro, Felippe Fonseca, Isabele Riccart e Victor Grimoni

Produção: Davi Porto e Dominique Castro

Trilha sonora: Davi Porto (Letra e Música), Emilya Cassiano (Voz), Luis Carlos Barbieri (Arranjo e

Violão) e Rafael Ermento (Masterização)

Assessoria de imprensa: assessoriadeimprensadorio@gmail.com

Recepção: Lucas Lino

Arte gráfica: Guilherme Rezende, Luiza Ferrari e Vinicius Lemoine

Realização: Blabonga Cia. Teatral


Mais sobre a Blabonga Cia. Teatral

A Blabonga Cia. Teatral nasceu da necessidade de um grupo de artistas de buscar um canal de

comunicação para expressar todos seus anseios artísticos. O grupo nasceu em 2017 em

Jacarepaguá, região situada na cidade do Rio de Janeiro, realizando pesquisa e

desenvolvimento de seus atores. No ano de 2018, realizou a montagem da esquete teatral

“Ensaio Sobre a Vida”, autoria e direção de Davi Porto e contracenação Dominique Castro e

Leandro Moura, todos atuais integrantes da companhia, na qual vêm, desde então, se

apresentando em diversos festivais do Estado do Rio de Janeiro, como 11° Niterói em Cena, 7o

Festival de Cenas Curtas FETAERJ e o 3o Festival de Cenas Curtas Zimba Com(vida), nos quais

foram indicados e premiados em diversas categorias. Em 2019, a Blabonga Cia. Teatral foi

aprovada para realizar a leitura encenada do XI Concurso Jovens Dramaturgos, prevista para


ser apresentada em maio de 2020 no Espaço Cultural Escola Sesc, integrando a programação

local do Festival Palco Giratório. Desde o ano de 2019, o grupo vem se aprofundando em

pesquisas cênicas para novos projetos, inclusive a produção do primeiro espetáculo da

companhia. Para a nova fase da companhia, dois artistas integraram o grupo - Isabele Riccart,

atriz e agente cultural, e Victor, ator e pesquisador, que de forma conjunta aos outros

integrantes, contribuíram para a criação de "Bongas - Os defensores da natureza". Apesar de

ser uma jovem companhia, a Blabonga Cia. Teatral é formada por profissionais atuantes no

mercado artístico, somando múltiplas projetos, montagens e pesquisas realizadas.

Temporada: De 06 a 28 de março de 2021.

Sessões: Sábados, às 20:00h, e domingos, às 19:00h.

Ingressos: A partir de 20 reais.

Site: www.doity.com.br/precisamos

Duração aproximada: 75 minutos.

Classificação indicativa: 16 anos.

Redes Sociais da Companhia:

Instagram: @blabongaciateatral

Twitter: @ @blabongateatro

Nenhum comentário: