25 de jan. de 2022

Crescimento, crise e estagnação: como o Brasil pode sair deste ciclo?

 




Economista Fernando de Holanda Barbosa, com mais de 50 anos dedicados à área, afirma que o fim da economia de privilégios é o caminho para a mudança real do país

Prefaciado por conhecidas personalidades envolvidas na economia brasileira, ao exemplo do ex-presidente do Banco Central, Afonso Celso Pastore, e o ex-ministro da Fazenda, Antonio Delfim Netto, a nova obra da Editora FGV explica aos brasileiros porquê o futuro tão promissor do país nunca chegou e permanece distante da realidade.

Em O flagelo da economia de privilégios, o doutor em Economia pela Universidade de Chicago Fernando de Holanda Barbosa, com mais de 50 anos de estudo e pesquisa na área, analisa a história política e econômica brasileira de 1947 a 2020. A resposta encontrada pelo autor, que justifica os repetidos ciclos de crescimento, crise fiscal e estagnação, é a economia de privilégios.

Segundo o autor, trata-se de um produto da cultura brasileira organizado e composto por empresários, trabalhadores e funcionários dos três poderes que extraem renda do Estado. Subsídios, tratamento fiscal diferenciado, salários acima do setor privado, aposentadorias e pensões especiais são situações que causam este déficit nas contas públicas. “A crise fiscal é resultado do conflito social provocado pela população que não aceita o aumento dos impostos para pagar esta conta”, explica o economista.

Dividida em duas partes, a obra passa pelo crescimento liderado pelo investimento de 1947 a 1979, a crise e transição de 1979 a 2004, a ascensão e queda do PT, a grande recessão brasileira de 2014 a 2016 e a política econômica do governo Bolsonaro. Outros quatro pontos são reservados para a segunda etapa da produção: “A cultura do subdesenvolvimento”, “Crescimento e instituições”, “O Banco Central da berlinda” e “Verdades e mentiras”.

“Com mais de meio século de trabalho dedicado à Economia, meu objetivo com este livro é fazer com que as pessoas pensem e reflitam sobre problemas centrais do Brasil”, compartilha o escritor. Além de O flagelo da economia de privilégios, Fernando de Holanda Barbosa é autor de “Macroeconomia”, também publicado pela Editora FGV.

Ficha técnica
Livro
: O flagelo da economia de privilégios
Autor: Fernando de Holanda Barbosa
Editora: Editora FGV
ISBN: 978-65-5652-094-0
Formato: 16 x 23 cm
Páginas: 228
Preço: R$ 49,00
Onde encontrarEditora FGV | Amazon



Sinopse: A economia de privilégios é um produto da cultura brasileira. Um grupo bastante organizado e importante, composto por empresários obtendo subsídios, transferências e tratamento fiscal diferenciado; trabalhadores com tratamentos especiais inclusive de impostos; funcionários públicos dos três poderes com salários acima do setor privado e até anistiados com aposentadorias e pensões especiais, procura, por vários mecanismos, extrair renda do Estado. O resultado desse ataque predatório nas finanças públicas produz déficit porque uma parte da população não aceita aumento de impostos para pagar a conta. A crise fiscal resulta desse conflito social. A obra traz alternativas e análises para o fim do flagelo da economia de privilégios, que depende de um pacto político da sociedade brasileira que estabeleça o princípio de regras universais para todo e qualquer cidadão.

Sobre o autor: Fernando de Holanda Barbosa é mestre e doutor pela Universidade de Chicago e pós-doutor pela Universidade Católica de Louvain. Foi secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda 

Nenhum comentário: