Vida Sana

23 de out. de 2019

Coletânea de obras da designer Moema Cavalcanti é lançada em coedição entre Cepe e Imesp



Livre para voar

Moema Cavalcanti [autora]

Chico Homem de Melo, Raquel Matsushita e Silvia Massaro [orgs.]

COEDIÇÃO IMPRENSA OFICIAL / EDITORA CEPE

ISBN IMESP: 978-85-401-0162-3

ISBN CEPE: 978-85-7858-808-3

Moema Cavalcanti_Livre para voar (003)

PÁGINAS | 224

FORMATO | 22 x 30 cm

PREÇO | R$ 100,00




Coletânea de obras da designer Moema Cavalcanti é lançada em coedição entre Cepe e Imesp

Coedição da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo e Companhia Editora de Pernambuco, título reúne icônicas capas de livros e ilustrações para revistas, catálogos e outros projetos da renomada capista pernambucana residente em São Paulo

A capista de livros, como gosta de ser chamada, Moema Cavalcanti saiu aos 25 anos de sua cidade natal, Recife, com destino à São Paulo, cidade onde iniciou contato com o mercado editorial e na qual reside até hoje. A obra Moema Cavalcanti: Livre para voar (IMESP/CEPE) traz uma amostra do reconhecido trabalho criativo da designer ao longo de mais de cinco décadas de atividade profissional, por meio de uma seleção de 200 peças entre milhares que foram criadas.

O livro, que será lançado no dia 26 de outubro, das 11h às 15h, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, foi concebido e construído pela própria Moema. Por conta de complicações de saúde, os três organizadores do livro, Chico Homem de Melo, Raquel Matsushita e Silvia Massaro, foram os responsáveis pela finalização da edição da obra, para garantir que o resultado chegasse aos apreciadores da cultura brasileira. O trio ainda aproveitou para deixar relato de suas experiências de convivência com Moema.

Moema Cavalcanti: Livre para voar tem 224 páginas e está dividido em dois blocos: uma retrospectiva do seu trabalho ao longo de 50 anos. O segundo bloco é composto pelos chamados presentinhos de domingo, mensagens que enviava semanalmente para amigos e parentes revelando sua face de contadora de histórias. A designer gráfica é responsável pela criação de mais de 1.600 capas, além de ilustrações para a revista Veja.



Logo nas primeiras páginas do livro impressiona a riqueza e diversidade da obra de Moema, a exemplo de títulos como: O homem máquina, de Adauto Novaes; Cavalo da noite, de Hermilo Borba Filho; Macunaíma, de Mário de Andrade; catálogos e identidade visual para os eventos paralelos da 46ª Feira Internacional de Livros de Frankfurt e livros da coleção Brasilianischi Literatur, título sobre o mestre do teatro butô, Kazuo Ohno; Expressionista, de Nelson Rodrigues; A máquina peluda, de Ademir Assunção; e O desejo, coordenado por Adauto Novaes. Os capítulos estão divididos entre materialidade, colagem, ilustrações e fotografia. A obra de Moema reúne trabalhos para livros de arte, crítica literária, poesia, literatura e filosofia.



Serviço:

Lançamento do livro Moema Cavalcanti: Livre para voar

Atendimento ao público com Moema Cavalcanti

Data: 26/10/2019

Horário: Das 11h às 15h

Local: Mezanino do Instituto Tomie Ohtake (Av. Brigadeiro Faria Lima, 201- Pinheiros, São Paulo – SP)

Valor especial no evento de lançamento: R$ 80,00

Evento aberto ao público



SOBRE MOEMA CAVALCANTI |Nascida em 1942, em Recife, a designer cresceu em uma casa muito frequentada por artistas e intelectuais. O pai, Paulo Cavalcanti, político, jornalista e historiador a levava para passeios em bibliotecas. A mãe, Maria Ofélia Cavalcanti, requisitada modista na sociedade local, ensinou a filha a confeccionar as próprias roupas. Formou-se em pedagogia em 1965 e chegou até a passar por teatro, com direito a premiação como atriz revelação. Em 1968, chegou à São Paulo e começou a trajetória apresentada na obra.



Na década seguinte, em 1975, criou seu próprio estúdio e trabalhou com várias editoras. Na primeira metade da década de 1990, cinco de suas capas recebem indicação ou ganham o Prêmio Jabuti. A primeira em 1991, com a capa de O desejo, um dos livros da coleção de filosofia da Companhia das Letras. Em 1993, foi indicada ao Jabuti pela capa de Desconforto da riqueza, de Simon Schama e Hildegard Feist. No mesmo ano recebeu a segunda indicação pelo projeto gráfico de História dos Índios do Brasil, que levou a estatueta como Melhor livro de Ciências Humanas e Melhor produção editorial, do Grupo Companhia das Letras. Em 2003 recebeu menção honrosa do Prêmio Jabuti pela capa de A casa do delírio, por Douglas Tavolaro, Editora Senac. Em 2008 venceu o Jabuti com a capa de Ensaios sobre o medo, organizado por Adauto Novaes.


No ano 2000 foi realizada a exposição Moema Cavalcanti – Oitocentas capas, na galeria da Associação dos Designers Gráficos - ADG, em São Paulo.



SOBRE OS ORGANIZADORES



CHICO HOMEM DE MELO | Graduado em Arquitetura, designer e professor de programação visual da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP), local onde, além da graduação, fez o mestrado e doutorado. Sócio de um escritório dedicado a projetos relacionados à educação e à cultura, expressa a admiração por Moema e a relevância da obra que reúne as criações da designer e sua história: “Este livro coloca ao alcance de todos a obra de uma profissional que ocupa posição de destaque no cenário do design gráfico brasileiro das últimas cinco décadas. Já não era sem tempo”.



RAQUEL MATSUSHITA | Designer e autora de livros infantis, formou-se em Publicidade e Propaganda e especializou-se em Nova York. Na faculdade, criou o hábito de ir a livrarias para olhar capas de livros e notou que, todas que chamavam sua atenção, o nome da Moema estava nos créditos. “Recém-formada e muito tímida, telefonei para Moema para perguntar se precisava de uma assistente. Ela foi tão receptiva e, com muita delicadeza, disse que já tinha uma estagiária. Ainda assim, agradeceu minha ligação. Nascia ali uma dupla admiração por ela”, conta sobre o primeiro contato com a designer.



SILVIA MASSARO | Formada em Design Gráfico pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), se considera sortuda por ter passado parte de sua carreira ao lado de Moema Cavalcanti. Depois das experiências juntas na Editora Brasiliense e na Editora Globo, a parceria se tornou sociedade e puderam, então, desenvolver capas para várias editoras. “Moema é determinada, perfeccionista, rigorosa e desafiadora. Observo e admiro a evolução do trabalho, seu olhar sofisticado e sua intuição afiada”, elogia a sócia.

Nenhum comentário: