Vida Sana

15 de jan. de 2020

Pia Mater: em busca de uma maternidade possível


No Sesc Consolação, estreia retrata as alegrias e tristezas
de uma mãe palhaça de primeira viagem
Fotos para divulgação: http://bit.ly/PiaMater
Dia 27 de janeiro, às 20h, no Espaço Beta do Sesc Consolação, estreia Pia Mater, espetáculo circense do Grupo Laje. O solo de palhaça, e de linguagem clownesca, é dirigido pela dramaturga e diretora Rhena de Faria (Mary e Os Monstros Marinhos) e mostra o dia a dia – ora cômico, ora dramático - de Maria Gelatina, uma mãe palhaça de primeira viagem, e expõe o complexo universo da maternidade.
O período do pós-parto, conhecido como puerpério, é marcado por acontecimentos importantes: os órgãos retornam aos locais e tamanhos de origem, as mamas atingem seu desenvolvimento completo e não voltam a ser como antes, o sono e a rotina mudam, as emoções ficam à flor da pele e a solidão torna-se um sentimento latente. Com tudo isso nasce também uma mãe, que luta para equilibrar hormônios, relações pessoais, trabalho e autocuidado.
Entre trocas de fraldas, banhos, sonecas e passeios de carrinho, Pia Mater aborda temas que retratam as grandes mudanças físicas, comportamentais e emocionais no cotidiano de uma mãe, dialogando com o público e tecendo a ideia de uma maternidade desmistificada, possível e real, próxima daquilo que a mulher realmente vive e distante do romantismo que se é pregado.
Formado por uma equipe feminina e materna, o projeto respeitou e acolheu as necessidades das profissionais, valorizando o trabalho de mulheres-mães em um cenário de frequente exclusão e intolerância.
No palco, quem assume o papel da mãe é a atriz, palhaça, dramaturga e psicóloga Joana Barbosa, que desde 2014 também atua como coordenadora pedagógica e professora no espaço Casa 11, local que oferece curso de teatro, pilates, dança e yoga. Joana também é especialista no Método Jacques Lecoq, referência em teatro físico, movimento e mímica, e Mestre em Pedagogia do Teatro pela USP.
Sinopse
Maria Gelatina é uma mãe palhaça de primeira viagem. Entre trocas de fraldas, banhos, sonecas do bebê e passeios de carrinho, a palhaça dorme e sonha com situações improváveis. O enredo apresenta de forma cômica e, por vezes, dramática, o complexo universo da maternidade.
Sessões Acessíveis e Bate-Papo
Buscando acolher o maior número de pessoas interessadas (em especial as mães), o Sesc Consolação, em parceria com a produção do espetáculo, preparou três sessões especiais, voltadas ao público surdo e às mães com filhos pequenos. Além disso, no dia da última apresentação, haverá um bate-papo com a atriz Joana Barbosa, a diretora Rhena de Faria e a médica pediatra Sandra Regina de Souza:
4/2 – Sessão com tradução em Libras
11/2 – Sessão Materna (com um espaço dedicado aos bebês e às crianças)
18/2 – Bate-papo sobre puerpério e maternidade após a sessão
Grupo Laje
Fundado em 2010 e atualmente formado por Joana Barbosa, Natalia Vaz, Paulo Candusso e Rodrigo Veloso, o Grupo Laje é um coletivo de investigação teatral que pesquisa a potencialidade de comunicação do corpo e dos elementos visuais e lúdicos dentro do universo da encenação.
O grupo desenvolve encenações, números cômicos, intervenções e encontros pedagógicos. O repertório é composto por esquetes cômicos e oficinas teatrais, além das peças CLOWND CLOWN (2010) e TROPA (2016). Em 2015 ganhou o prêmio Arte em Todo Canto, realizado pelo Canto Cidadão, por ter apresentado 270 cenas em 7 hospitais da capital paulistana.
Sobre a Diretora
Rhena de Faria é palhaça, atriz-improvisadora e diretora teatral. Integrou por treze anos o elenco de “Jogando no Quintal - Jogo de Improvisação de Palhaços”, um dos espetáculos de humor de maior sucesso em São Paulo. Como atriz-improvisadora, atuou ao lado de Marcio Ballas, Allan Benatti, Marco Gonçalves e Cristiano Meireles. É diretora-artística d' A Musa Heroica Companhia de Teatro, um coletivo de 12 atrizes-improvisadoras, fundado em 2016, com o qual montou o espetáculo “Relicário” (2017). Dirigiu entre outras peças: “Bagagem” (2018), solo de Marcio Ballas, e “Mary e os Monstros Marinhos” (2018) da Cia Delas de Teatro, vencedor do APCA em 2019 e com 6 indicações ao Prêmio São Paulo. Também dirigiu as palhaças Rubra (Lu Lopes) e Mafalda Mafalda (Andrea Macera) no espetáculo “Sobre Tomates, Tamancos e Tesouros”.
Ficha Técnica
Dramaturgia Joana Barbosa e Rhena de Faria
Direção 
Rhena de Faria
Elenco 
Joana Barbosa
Cenário 
Natalia Vaz
Desenho de Luz 
Lica de Barros
Figurino 
Joana Barbosa
Trilha Sonora 
Rhena de Faria e Joana Barbosa
Coreografia 
Gabriela Winter
Fotos 
Jess Lima
Projeto 
Gráfico Laura do Lago
Edição de Som 
Ernani Sanchez
Costureiras 
Roselene Felício e Bene Calistro
Operadores de Luz 
Paulo Candusso e Lica Barros
Operadora de Som 
Rhena de Faria
Vídeo 
Ronaldo Cahin
Produção 
Grupo Laje e Mítica
Produção Executiva 
Cau Fonseca e Rodrigo Veloso
Serviço
Pia Mater: em busca de uma maternidade possível
Com Grupo Laje

De 27 de janeiro a 18 de fevereiro, segundas e terças, às 20h
Local: Espaço Beta (3º andar)
Duração: 55 minutos
Classificação: Não recomendado para menores de 12 anos
Ingresso: R$ 9,00 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculados no Sesc e dependentes/Credencial Plena) | R$ 15,00 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante) | R$ 30,00 (inteira)
Sesc Consolação
Rua Doutor Vila Nova, 245, São Paulo – SP
Informações: 3234 3000
sescsp.org.br
Facebook, Twitter e Instagram: /sescconsolacao

Nenhum comentário: