Como tirar o esmalte rápido

10 de jul. de 2020

Nave Gris Cênica anuncia chamamento para Encontros (per)Formativos de Dança


Inscrições acontecem até o dia 19 de julho de 2020.

Até o dia 19 de julho de 2020, a Nave Gris Cia Cênica seleciona profissionais da dança e do teatro para uma série de Encontros (per)Formativos de dança. Ministrados pela dançarina-pesquisadora Vera Cristina Athayde e a arte-educadora Jamila Prata, os encontros, que vão além da proposta de um workshop, buscam ser um espaço de aprimoramento técnico e de partilha entre os participantes. Os eventos fazem parte do projeto “Mãos que bordam o tempo, pés que acordam o chão - circulação dos espetáculos A-VÓS e Corredeira” contemplado pela 27ª Edição do Programa de Fomento à Dança para a Cidade de São Paulo. O projeto, que tem duração de 18 meses, prevê apresentações gratuitas dos espetáculos A-VÓS e Corredeira, palestras, rodas de conversa e cursos gratuitos que visam fomentar um olhar ético e sensível para maneiras de conceber e vivenciar o tempo, a memória e os saberes ancestrais presentes nas culturas negras e ameríndias.

Em nossa prática artística é fundamental a parceria com artistas convidadas - explica Kanzelumuka e Murilo De Paula, idealizadores do projeto - Isso possibilita a criação de territórios de fricção onde as diferenças e afinidades estéticas e técnicas tornam-se procedimentos de criação e matéria poética. O objetivo é partilhar este momento cotidiano do nosso trabalho com outros artistas da cena.

Contemplando seis profissionais da capital paulista, os eventos serão realizados entre os dias 05/08 e 25/09/2020, sempre às quartas e sextas-feiras, a priori, em formato online.  Os encontros serão articulados entre si e não será possível se inscrever em apenas uma das atividades. Todos os participantes receberão um certificado de participação.



Sobre os Encontros (per)Formativos com Jamila Prata:

Sinopse: Ginga, corpo, música, pés na terra e ancestralidade. As vivências em capuêra angola convidam a experimentar movimento e a musicalidade que se origina no sagrado africano, e que também está presente em nosso interior, buscando cura, amor e libertação na maneira africana de fazer, pensar e de partilhar as trocas.

Jamila é praticante de capoeira angola na Associação Cultural de Capuêra Angola Paraguassu desde 2011, grupo fundado por Mestre Jaime de Mar Grande; percussionista que acompanha o trabalho musical de Mestre Lumumba e atua em diversos grupos de música afro-brasileira. Também é arte-educadora e professora de geografia na rede municipal de São Paulo/SP e pesquisadora da cosmovisão africana no mestrado em Ciências Humanas pela USP e pertence a Comunidade Ilê Axé Omo Ayiê.



Sobre os Encontros (per)Formativos com Vera Cristina Athayde:

Sinopse: Folias e camuflagens terão como objetivo promover a improvisação, criação e composição coletiva, através da oralidade e do fazer corporal, provindos de pesquisas e experimentos inspirados nas matrizes corporais brasileiras, que trazem no seu imaginário, a camuflagem, o pantim, a ginga e o bamboleio.

Vera Cristina Athayde é pernambucana, dançarina-pesquisadora, mestre em Artes (UNICAMP), em doutoramento pela Escola de Comunicações e Artes – USP, com experiência na área de dança, cultura brasileira e cubana, com foco específico em pedagogias, poética-cênica e entrelaçamentos.



Sobre a Nave Gris Cênica:

A Nave Gris Cia Cênica, dirigida por Kanzelumuka e Murilo De Paula, nasceu em 2012 na cidade de São Paulo do encontro entre artistas de linguagens distintas e dedica-se, desde então, à pesquisa e desenvolvimento da cena como campo de pluralidade, espaço expandido e limiar entre dança, teatro e performance. As culturas afro-brasileiras e ameríndias estão presentes no trabalho da companhia como motores na pesquisa e produção de estéticas contemporâneas que afirmam a multiplicidade de vozes, corpos e pensamentos que nos constituem como latino-americanos. A Cia realizou Poéticas do Desacontecer (performance), o espetáculo de dança negra contemporânea Dikanga Calunga, a intervenção coreográfica Minha Cabeça Me Salva ou Me Perde, os espetáculos Corredeira, que estreou na Bienal Sesc de Dança 2017, e A-VÓS,  indicado ao APCA 2018 na categoria Espetáculo/Estreia e como um dos melhores espetáculos de dança de 2018 pelo júri do Guia Folha de São Paulo.



Serviços:

Chamamento Encontros (per)Formativos: 06/07/2020 a 19/07/2020

Regulamento e inscrições no site www.navegris.com.br

Vagas: 06

Divulgação dos selecionados: 27/07/2020

Realização dos Encontros (per)Formativos: às quartas e sextas das 10h às 12h de 05/08/2020 à 25/09/2020.

Nenhum comentário: